Paralisia Facial

“E, de repente num belo dia acordo com o rosto deformado de um lado, meu Deus o que é isso? O lado direito da face se encontra totalmente caído. Procurei um médico com urgência e ele diagnosticou como paralisia facial ou paralisia de Bell que se traduz numa fraqueza muscular de um lado do rosto.Trata-se de uma doença rara que pode vir a se resolver espontaneamente, porém exige acompanhamento médico”.

Nesses casos podemos pedir exames laboratoriais ou mesmo de imagem.

Qual seria a causa? Pode ser uma reação a uma infecção e dificilmente ocorre mais de uma vez e pode se resolver por volta de 6 meses.

Eu indicaria fisioterapia de forma a não corrermos o risco de tornarem os músculos contraídos de forma permanente.

A condução do tratamento normalmente é realizado por um neurologista. Ela normalmente envolve o nervo facial (VII par)

Este nervo controla diversas funções da mímica facial como piscar e fechar os olhos, fazer sorrir, e enrugar a testa além de produzir lágrimas e saliva. Pode ainda causar hiperacusia e perda do paladar parcial da língua.

Dentre os sinais e sintomas mais comuns o que mais chama atenção é a queda do lábio afetado, pode-se observar ainda flacidez da sobrancelha e incapacidade de fechar as pálpebras.

O sinal de Bell corresponde ao movimento do olho para cima e para fora do olho afetado, e uma dor na região próxima ao ouvido.

O neurologista deve focar sua atenção para diagnosticar se os músculos da testa estão poupados e desta forma temos a paralisia central, e se o problema esta no nervo facial (paralisia periférica).

Para determinarmos o grau de lesão do nervo, usamos a escala de House-Brackmam.

Qual seria a causa da paralisia de Bell? A razão mais acreditável é uma infecção latente de vírus sem sintomas como vírus simples e zoster bem como o de Epstsin-Barr.

Uma reativação pode ser causada por um trauma fatores ambientais e emocionais nos levando a saber que diversas condições podem levar a uma reativação.

Como podemos poder diagnosticar a Paralisia de Bell? ela em realidade fica mais no campo da idiopatia sem causas conhecidas.

Diversas doenças podem levar a mascarar o diagnóstico eventualmente HIV, otite média, sarcoidose etc.

E, como vou tratar a paralisia facial: a incompleta só com acompanhamento porém aquela que envolve o VII par deve ser tratada rapidamente, esteroides é o meio melhor ainda que antivirais.

Um cuidado que deve ser tomado é com os olhos, principalmente nos casos de dificuldade de fechar a pálpebra e a não produção de lágrimas, que é quando indicamos as lágrimas artificiais.

O prognóstico geralmente é bom e sinais de melhora podem ocorrer nas primeiras 3 semanas podendo porém chegar de 3 a 6 meses.

Aqueles pacientes que desenvolvem uma recuperação completa em semanas tendem a completar a melhora total.

Pudemos acompanhar um paciente que se apresentou com a Síndrome

Sintomas: O nervo facial tende a inchar, primeiro pode ser dor atrás do olho

De repente os músculos da face enfraquecem em horas, uma paralisia parcial aumentando até 24, 72 hs.

Esteticamente a face fica sem expressão, como se estivesse lisa, porém as pessoas sentem uma sensação de uso na face embora a sensibilidade pareça normal.

Os pacientes tendem a ter dificuldade de fechar o olho no lado afetado bem como os músculos da parte não afetada tem tendência a direcionar ao lado afetado sempre que realizam uma expressão facial.

Tivemos oportunidade de atender uma paciente portadora da Síndrome de Bell com a seguinte seqüência:

  • Dois dias antes de aparecerem os sintomas apresentou sintomatologia de DTM.
  • 48 hs após foi ao cabeleireiro e foi percebido que o rosto estava torto, e nesse momento a paciente não sentia nada de levasse a parestesia.
  • 1 hora após a paciente passou a apresentar uma parte do rosto totalmente paralisada.
  • No 2º dia – dor forte – foi prescrito analgésico.
  • Tomou também 12 comps de Zoovirax – 100 mg de corticóide continuando por 60 dias.
  • O neurologista colocou que em caso de não melhora em 15 dias haveria então chance de 30% de gerar seqüela.
  • 25 dias deu-se início a fisioterapia passiva sem estimulação elétrica, o quadro começou a melhorar com 60 dias.
  • A vista incomodava muito e foi indicado o uso de lágrima artificial, tamponamento do olho.
  • Com 60 dias + 1 ano melhorou o quadro e foi indicado tratamento com homeopatia.
  • Estado atual

A paciente apresentava todos os movimentos porém persistia a parestesia, ainda a necessidade do uso de lágrima artificial, aos  2 anos o estado é de não apresentar sequela motora, porém persiste a parestesia.

 

Escrito pelo Prof. Dr. Antenor Araujo – Cirurgião Bucomaxilofacil

1
Olá, como podemos ajudar você?
Powered by